Arquivo de Novembro, 2012

30
Nov
12

UMA HISTÓRIA DE NATAL PROTAGONIZADA POR UM POLÍCIA

poliNeste tempo em que as teorias tecnocráticas prevalecem sobre o social, é de relevar esta história que nos chega dos USA e que tem como protagonista, pelo ato altruísta, um polícia, essa classe tão exorcizada mas que dá estes bons exemplos de solidariedade ao Mundo: durante a ronda em Times Square, em Nova Iorque, Lawrence DePrimo, um polícia de 25 anos, deparou-se com um sem abrigo descalço e os pés enregelados, devido às temperaturas negativas que se fazem sentir nesta altura do ano, na cidade.

Afastou-se para voltar logo a seguir com um par de botas que foi comprar a uma loja próxima por 80 euros. O gesto podia ter caído no anonimato se uma jovem turista, Jennifer Florence, do Arizona, não tivesse fotografado o momento em que o polícia se ajoelha para calçar o sem-abrigo.

A foto, que enviou para a polícia do Arizona, foi colocada no Facebook da esquadra e teve 320 mil ‘likes’ e 70 mil comentários. O polícia admite que sentiu pena do homem sentado na rua. «Eu tinha dois pares de meias e tinha frio. Disse-lhe que tinha umas botas para ele e que devia tomar conta de si»

Jennifer Forrester ficou impressionada com o altruísmo do polícia. “O gesto que o agente teve é importante para percebermos como a bondade deve ser cultivada e não abandonada”, concluiu.

Uma história de Natal, sem dúvida, bem real,uma imagem que vale milhares de palavras Sem renas, nem Pai Natal, nem luzes, nem foguetórios ( daqueles que vão explodir na Madeira e que custarão ao povo 2 milhões de euros). A solidariedade humana não tem limites…às vezes, está é …ofuscada pela imprevisibilidade do dia a dia, pelo salve-se quem puder numa sociedade em que a maioria dos cidadãos estão no limiar da pobreza ( foi divulgado pela ONU que o limiar da pobreza é marcado por quem recebe 16 euros por dia… um limite que está bem abaixo aqui em Portugal, estimando-se que 3 milhões de portugueses auferem um valor muito abaixo desse,ou seja, vivem na pobreza ),pelo mercantilismo que prevalece sobre os actos humanos. Este Polícia de NY deu um exemplo ao Mundo como este poderia ser bem melhor se houvesse mais solidariedade e políticas sociais que privilegiassem o indivíduo em detrimento dos números.

Anúncios
29
Nov
12

ESCÂNDALO NA UE: AS REFORMAS DOURADAS

Um Russo definiu o quadro Europeu de funcionalismo como sendo uma cópia da antiga União Soviética;  um grupo mafioso de burocratas que se apoderaram das rédeas do poder em beneficio próprio e que em breve proporcionarão o seu desmantelamento e miséria geral, como já vai sendo visível…Portugal é disso um triste exemplo.Isto realmente é uma coisa incrível

«Noruegueses, Finlandeses, Suecos, Franceses,….Portugueses!, todos a denunciar! e a exigir HONESTIDADE
Já reparou? Os políticos europeus estão a lutar como loucos para entrar na administração da UE! E por quê?
Leia  o que segue, pense bem e converse com os amigos. Envie isto para os europeus que conheça! Simplesmente, escandaloso.
Foi aprovada a aposentadoria aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da EU!!!. Este ano, 340 agentes partem para a reforma antecipada aos 50 anos com uma pensão de 9.000 euros por mês.
Sim, leu correctamente!
Para facilitar a integração de novos funcionários dos novos Estados-Membros da UE (Polónia, Malta, países da Europa Oriental …), os funcionários dos países membros antigos (Bélgica, França, Alemanha …) receberão da Europa uma prenda de ouro para se aposentar.
Porquê e quem paga isto?
Você e eu estamos a trabalhar ou trabalhámos para uma pensão de miséria, enquanto que aqueles que votam as leis se atribuem presentes de ouro. A diferença tornou-se muito grande entre o povo e os “Deuses do Olimpo!”
Devemos reagir por todos os meios começando por divulgar  esta mensagem para todos os europeus. É uma verdadeira Mafia a destes Altos Funcionários da União Europeia ….
Os tecnocratas europeus usufruem de verdadeiras reformas de nababos … Mesmo os deputados nacionais que, no entanto, beneficiam do “Rolls” dos regimes especiais, não recebem um terço daquilo que eles embolsam.
Vejamos! Giovanni Buttarelli, que ocupa o cargo de Supervisor Adjunto da Protecção de Dados, adquire depois de apenas 1 ano e 11 meses de serviço (em Novembro 2010), uma reforma de 1 515 ? / mês. O equivalente daquilo que recebe em média, um assalariado francês do sector privado após uma carreira completa (40 anos)…
O seu colega, Peter Hustinx acaba de ver o seu contrato de cinco anos renovado.  Após 10 anos, ele terá direito a cerca de ? 9 000 de pensão  por mês.                                                       
É simples, ninguém lhes pede contas e eles decidiram aproveitar ao máximo. É como se para a sua reforma, lhes fosse passado um cheque em branco.
Além disso, muitos outros tecnocratas gozam desse privilégio:
1. Roger Grass, Secretário do Tribunal Europeu de Justiça, receberá ? 12 500 por mês de pensão.
2. Pernilla Lindh, o juiz do Tribunal de Primeira Instância, ? 12 900 por mês.
3. Damaso Ruiz-Jarabo Colomer, advogado-geral, 14 000 ? / mês.
Consulte a lista em:
http://www.kdo-mailing.com/redirect.asp?numlien=1276&numnews=1356&numabonneXSSCleanedXSSCleanedXSSCleaned=62286
 
Para eles, é o jackpot. No cargo desde meados dos anos 1990, têm a certeza de validar uma carreira completa e, portanto, de obter o máximo: 70% do último salário. É difícil de acreditar … Não só as suas pensões atingem os limites, mas basta-lhes apenas 15 anos e meio para validar uma carreira completa, enquanto para você, como para mim, é preciso matar-se com trabalho durante 40 anos, e em breve 41 anos.
Confrontados com o colapso dos nossos sistemas de pensões, os tecnocratas de Bruxelas recomendam o alongamento das carreiras: 37,5 anos, 40 anos, 41 anos (em 2012), 42 anos  (em 2020), etc. Mas para eles, não há problema, a taxa plena é 15,5 anos… De quem estamos falando?
Originalmente, estas reformas de nababos eram reservadas para os membros da Comissão Europeia e, ao longo dos anos, têm também sido concedida a outros funcionários. Agora eles já são um exército inteiro a beneficiar delas: juízes, magistrados, secretários, supervisores, mediadores, etc.
Mas o pior ainda, neste caso, é que eles nem sequer descontam para a sua grande reforma. Nem um cêntimo de euro, tudo é à custa do contribuinte … Nós, contribuímos toda a nossa vida e, ao menor atraso no pagamento, é a sanção: avisos, multas, etc. Sem a mínima piedade. Eles, isentaram-se totalmente disso. Parece que se está a delirar!
Esteja ciente, que até mesmo os juízes do Tribunal de Contas Europeu que, portanto, é suposto « verificarem se as despesas da UE são legais, feitas pelo menor custo e para o fim a que são destinadas », beneficiam do sistema e não pagam as quotas. E que dizer de todos os tecnocratas que não perdem nenhuma oportunidade de armarem em «gendarmes de Bruxelas» e continuam a dar lições de ortodoxia fiscal, quando têm ambas as mãos, até os cotovelos, no pote da compota?
Numa altura em que o futuro das nossas pensões está seriamente comprometido pela violência da crise económica e da brutalidade do choque demográfico, os funcionários europeus beneficiam, à nossa custa, da pensão de 12 500 a 14 000 ? / mês após somente 15 anos decarreira, mesmo sem pagarem quotizações… É uma pura provocação!
O objectivo é alertar todos os cidadãos dos Estados-Membros da União Europeia. Juntos, podemos criar uma  verdadeira onda de pressão.
Não há dúvida de que os tecnocratas europeus continuam a gozar à nossa custa e com total impunidade, essas pensões. Nós temos que levá-los a colocar os pés na terra.
«Sauvegarde Retraites» realizou um estudo rigoroso e muito documentado que prova por  “A + B” a dimensão do escândalo. Já foi aproveitadopelos media.
http://www.lepoint.fr/actualites-economie/2009-05-19/revelations-les-retraites-en-or-des-hauts-fonctionnaires-europeens/916/0/344867

28
Nov
12

BLOGUE JÁ DERA A NOTÍCIA DO «PÚBLICO»: IMAGENS DA RTP REQUISITADAS POR UNIDADE SECRETA DA PSP

 

O jornal  Público de hoje, quarta feira,28, dá como manchete que uma unidade secreta da PSP solicitou à RTP imagens gravadas pela estação televisiva dos confrontos de 14 de novembro, dia de greve geral. Essas imagens poderão ser usadas como provas de crimes em tribunal.Uma notícia que este blogue revelou no passado dia 22 de Novembro, como se comprova…em matéria de «coisas» secretas estamos sempre um passo mais à frente que alguns jornalistas «expert» em matérias de investigação…e só esperamos que esta seja mais uma matéria que osmedia vêm colher neste blogue, sem dar «cavaco» …ou seja, sem mencionar a fonte como impõem as mais elementares regras deontológicas e de ética. Mas são estes factos que comprovam o rigordo trabalho dos autores deste blogue,onde a verdade,muitas vezes, escondida, é quem mais ordena.

Sobre este episódio ainda relacionado com os incidentes ocorridos na Assembleia da República do passado dia 14, diz o «Público» – e já tínhamos dito nós…- que uma unidade secreta da PSP solicitou à RTP imagens gravadas pela estação televisiva, com a finalidade que estas sejam usadas como prova de crime junto dos tribunais nacionais.

O jornal “Público” teve conhecimento ( isso já nós tínhamos dito também…)  que a solicitação destas imagens veio por meio de um órgão superior e secreto dentro da PSP, integrado na Unidade Especial de Polícia, sedeada em Belas, ato este realizado pelo Comando Metropolitano de Lisboa.

As imagens captadas pela televisão estatal contêm gravações das forças policiais que estiveram junto ao Parlamento nas manifestações da greve geral de 14 de novembro, tendo sido anteriormente visualizadas por dois elementos da PSP, no gabinete do subdiretor da estação, Luís Castro…e ao que parece, sob o beneplácito do então director de informação, Nuno Santos, o qual, segundo um inquérito interno da RTP, terá autorizado o visionamento das imagens pelos «espiões» da PSP.

Estas mesmas imagens foram ainda pedidas à SIC e TVI, através de um email enviado pelo comissário João Pestana, onde o mesmo solicitava imagens “não editadas”, para serem usadas “como meio de atos provados como crime”, pedido que ambos os canais recusaram.

Agora as imagens da RTP deverão conter o logotipo do canal, para que possam ser usadas como prova de delito em tribunal, pois tais só serão legais se assim o contiverem. Contudo, o Ministério da Administração Interna não solicitou à Comissão Nacional de Proteção de Dados autorização para a realização das imagens.

O pedido enviado pela PSP foi um cariz informal, sendo efetuado sem ordem judicial.

28
Nov
12

ESTA «GORDURA« NÃO SE LEMBRA PASSOS DE CORTAR :ASSOCIAÇÃO DE EX DEPUTADOS CUSTA AO POVO 40 MIL EUROS

Os nosso deputados não páram de nos surpreender. Sexas criaram, para deleite próprio, mas com actividades pagas pelo Orçamento da Assembleia da República ( ou seja, pelo erário público) uma Associação de Ex-deputados da Assembleia da República (AEDAR) que, segundo se pode ler no orçamento da AR, recebeu só este ano mais de 42 mil euros para a sua actividade. Se lhe parece muito, convém referir que sofreu um duro corte de 4,9 por cento face a 2011…

E o que faz esta associação? A ver pela página no Facebook, com apenas 25 gostos, organiza passeios a Tomar e tertúlias com temas tão pertinentes como “Inovação Aprende-se”. No blogue da associação o último post data de Julho e refere-se a outro colóquio, desta vez com o tema “Como conviver com o seu corpo”<http://4.bp.blogspot.com/SZZsr8hyjVw/UHKZaOeYaCI/AAAAAAAABPA/f_QgTJOAYDA/s1600/corpo> ( ver foto com deputados  em plena discussão de temática tão transcendente e pertinente em tempos de troika)…ainda se Sexas sofressem os mesmos cortes draconianos incluidos  no Orçamento do Estado que acabam de aprovar e que penalizam a maioria do povo, poderia perceber-se estas atenções pelo corpo o qual,ao invés, tem tendências para a engorda, tantas são as prebendas que usufruem, desde os salários, eles também gordos, além de outras prerrogativas …não há nada como cuidar da linha em tempos de vacas magras…

Mas estes «pais da Pátria», resguardados pelos vetustos corredores do Palácio onde labutam e suam a estopinhas, sabem cuidar-se a eles próprios,como se pode ver pela tabela de despesas que publicamos…<http://www.parlamento.pt/Paginas/XIIL1sl_OAR2012.aspx>.

Num exemplo de falta de transparência, o blogue da associação(<http://aedar.blogspot.pt/2012/05/assembleia-geral-para-aprovacao-do.html) não explica como é gasto o dinheiro de todos nós. Fica-se apenas a saber que «o relatório, enviado a todos os associados da AEDAR, foi aprovado por maioria, tendo os participantes louvado a boa gestão e iniciativa da AEDAR».

 Seria natural que uma associação deste tipo – semelhante a tantas outras que existem em organismos públicos e privados e que visam criar programas e actividades lúdicas para os seus funcionários-  garantisse a sua existência à custa do pagamento de quotas dos seus associados, o que não é o caso… a sua activiade «filantrópica« custa mais de 40 mil euros ao erário público.

 Esta «gordura» não se lembram o senhores  Coelho e Gaspar cortar.Talvez por que sabem que a maioria deve ser tratada com todas as mordomias…não vá algum (ou alguns) deputados começarem a sacudir-se nas bancadas incomodados com a falta destes  salamaleques que visam o seu bem estar, corporal e mental…

27
Nov
12

AO QUE ISTO CHEGOU! INSPECTORA DA PJ PRESA POR HOMICÍDIO DE IDOSA EM COIMBRA

Uma inspectora da Polícia Judiciária do Porto, 36 anos de idade, afecta à divisão do crime económico, foi hoje detida, sob suspeita de ter assassinado uma comerciante de Coimbra de 82 anos de idade. Filomena Gonçalves, a vítima, era avó do marido da agente da Polícia que a terá executado com 14 tiros de pistola, num quadro de grande violência.

As perícias nas viaturas de familiares, o facto de ter apurado que a pistola era do tipo usada por agentes da autoridade ( a Polícia apurou que a arma,uma Golck, foi furtada das instalações da PJ) e não terem sido encontrados sinais de arrombamento da porta do apartamento situado na Rua António José de Almeida, o que leva a supor que o (a) homicida era das relações da senhora, terão constituído pistas importantes para a descoberta da autoria do crime.

Suspeita-se que o assassínio terá sido cometido por motivos relacionados com partilhas. A senhora, antiga comerciante no mercado municipal de Coimbra, onde tinha um talho, teria deixado herança que não privilegiava o neto e a mulher, a agente da PJ que, desagradada com o facto, e no desenlace de uma acesa discussão, resolveu vingar-se a tiro, depois de ter visitado a idosa na quarta-feira da passada semana.

A viúva foi encontrada com o corpo crivado de balas na sala do apartamento, atingida praticamente à queima roupa. As últimas pessoas a estarem com Filomena terão sido a filha e o genro, que almoçaram em sua casa. Ao princípio da tarde, o casal ausentou-se, primeiro o genro e depois a filha, ficando a vítima sozinha. Uma hora depois, seria assassinada pela mulher do neto.

27
Nov
12

HORTA E COSTA, O «BARÃO» DE SANTA COMBA DÃO, EX-PRESIDENTE DOS CTT, COMEÇOU A SER JULGADO POR ADMINISTRAÇÃO DANOSA

 Tribunal aprecia a venda fraudulenta de dois edifícios dos CTT em Coimbra e Lisboa que deram um espetacular lucro em poucas horas… a terceiros, não para o Estado mas sim, a amigos empresários do «barão» conterrâneo de Salazar, um dos quais «refugiou-se» no Brasil onde preside a uma câmara de Comércio Portugal/Ceará. Juiz mandou emitir mandado de detenção contra ele,uma decisão algo invulgar 

Não sabemos se a intenção já expressa pela ministra Teixeira da Cruz de pôr ordem no sector que tutela, acabando com os privilégios dos juízes – esses senhores todo-poderosos que põem e dispõem do seu cargo e das suas decisões sem dar cavaco a ninguém – mas há algo de novo na Justiça. Seria impensável há uns tempos atrás assistir-se a esta decisão do juiz do tribunal de Coimbra que preside ao julgamento de 11 arguidos, gente poderosas da economia, envolvidos  no caso que implica essencialmente a venda de um imóvel dos CTT em Coimbra, na Avenida Fernão de Magalhães, e outro em Lisboa, na Avenida da República, de que terá resultado um prejuízo para os correios superior a 13 milhões de euros. Acontece que o magistrado emitiu um mandado de detenção para o arguido Pedro Garcês depois deste ter faltado à primeira sessão do julgamento do caso sem qualquer justificação…o que indicia haver um novo tratamento dos tribunais para com os poderosos, depois da «ameaça» da ministra de que iria «vigiar» o trabalho dos juízes.

Acusado de corrupção activa para ato ilícito, Pedro Garcês era proprietário e gerente das empresas Demagre e Tramcrone, envolvidas na compra e revenda do edifício dos CTT em Coimbra e, a primeira, ligada à intenção de compra do imóvel em Lisboa (que não chegou a concretizar-se por falta de provisão do cheque destinado ao respetivo pagamento).

Além deste, estão envolvidos no julgamento, que teve início hoje em Coimbra, 10 outros arguidos, entre os quais o ex-presidente do conselho de administração dos CTT Carlos Horta e Costa ( oriundo de uma família brasonada de Santa Comba Dão, a terra de Salazar, de onde saiu para se tornar um dos mais influentes homens de negócios do país… curioso este paralelismo entre a vida do ditador e o homem de negócios,  ambos a deixarem o mesmo berço da província à procura de destinos que os fizeram sair da sombra ), pronunciado por seis crimes de participação económica em negócio e um crime de administração danosa. Foi devido à sua «intervenção» ( coisa que o Tribunal irá ou não apurar) que a venda dos edifícios obteve um lucro acima da média para os empresários amigos…em poucas horas, no caso do imóvel de Coimbra, de uma manhã de nevoeiro para a tarde, golpada que o atual bastonário da Ordem dos Advogados foi um dos primeiros a denunciar com grande estrondo ( provavelmente, por envolver gente ligada ao PSD, alvo preferencial de Sexa… mas sobre as trafulhices que tiveram lugar durante o consulado de José Sócrates nunca ouvimos Marinho Pinto a falar com tanta veemência…).Mas adiante…

Manuel Carrasqueira Batista e Paulo Jorge Silveira são também arguidos e integravam igualmente o conselho de administração dos CTT entre 2002 e 2005, altura em que ocorreram as vendas dos dois imóveis que terão causado aquele prejuízo aos correios.

Pedro Garcez pôs-se ao «fresco» para o Brasil, seguindo as pisadas de outros notáveis cá do burgo ( lembram-se de Fátima Felgueiras ?), no caso,  para Fortaleza, no dia 6 de Julho de 2012, exercendo o cargo de «director de indústria»  de uma tal «Câmara de Comércio Portugal-Ceará».

Segundo refere o blogue osexoeacidade.com Pedro Garcez estará ligado ao Grupo Santo (Mondego Residence),  ex- A. Santo (empresa que deu que falar quando Judas governava Cascais), cujo dono é Américo Santo, oriundo de terras de Ansião,  berço de Carlos Godinho, também arguido neste processo de compra e venda de imóveis. Les beaux esprits se rencontrent…

24
Nov
12

CAMARATE: «RECEBI 200 MIL DÓLARES DE ESPIÃO DA CIA PARA FABRICAR A BOMBA QUE MATOU SÁ CARNEIRO»

«Recebi 200 mil dólares de Frank Sturgis ( espião a soldo da CIA) para fabricar a bomba incendiária  colocada no avião em que Sá Carneiro viajou. O encontro teve lugar num iate ao largo de Cascais», referiu José Esteves, o eterno suspeito de Camarate, no lançamento do livro «Sá Carmeiro e as Armas para o Irão» da autoria do jornalista Frederico Duarte Carvalho que teve lugar ontem, sexta feira, em Lisboa.

A sessão contou com a presença de Jim Hunt, sobrinho de Frank Sturgis, o homem dado como sendo o intermediário da CIA que tinha por missão contratar os operacionais para o atentado que vitimou o então primeiro ministro e o ministro da Defesa. Reportando-se a documentos que descobriu na posse do tio,  Hunt não descarta a possibilidade do envolvimento de Sturgis nos acontecimentos que tiveram lugar há 32 anos atrás em Camarate. Convicção que se tornou mais credível ao visitar esta semana na prisão Fernando Farinha Simões, um dos outros suspeitos que divulgou recentemente uma confissão sobre o seu envolvimento no incidente e na qual refere  ter sido ele também «contratado» por Sturgis para executar o crime. Jim Hunt lembrou a vida de «guerreiro» do tio ( este foi o nome que ele deu a um livro que escreveu sobre a vida do seu familiar), desde o apoio à guerrilha de Fidel Castro em Cuba, ao volte face ideológico que o levou a conspirar o assassínio do carismático líder cubano, as suspeitas de ligação ao grupo que executou o presidente John Kennedy e, posteriormente, ter integrado o duo de agentes da CIA que tomou de assalto o edifício Watergate e que resultou na queda de Nixon.

O livro de Frederico Carvalho publica duas foto documentando a presença de Sturgis em Portugal.Numa das quais,em 1977, na varanda do hotel Ritz.Numa outra, datada de 1981,o «espião americano participa num encontro com Daniel Chipenda, na altura, a militar na FNLA,preparatório de um outro com Fernando Farinha Simões e que teve o objectivo preparar um golpe de Estado em Angola. Operação Kubango, assim se chamava essa operação que teria por finalidade  distanciar Angola da órbita soviético/cubana. Mais tarde, a mando do embaixador Carlucci ( o «patrão» da CIA em Portugal, é assim que F. Simões o caracteriza)), Sturgis terá contratado José Esteves e Farinha Simões para executar o atentado que vitimou Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa. Os dois governantes estavam na posse de dossiers comprometedores sobre o envolvimento de personalidades portuguesas no tráfico de armas para o Irão ( tráfico que era financiado pelo chamado Fundo de Desenvolvimento do Ultramar, um «saco azul» criado durante a guerra colonial) e isso incomodava os «falcões» da administração americana.

Frederico Duarte Carvalho apontou os motivos que o levaram a escrever a obra, onde levanta uma nova questão: afinal, o atentado visava Sá Carneiro e não, como a principio se conjecturou, o seu ministro da Defesa, Adelino Amaro da Costa, que levava documentos numa pasta contendo dados sobre as armas que iriam ser vendidas e os nomes de empresários e militares portugueses envolvidos : «Comecei a investigar Camarate no dia 5 de Dezembro de 1980. Para os mais atentos, isso pode parecer estranho, visto que, como nasci em 1972, tinha então 8 anos. Mas, lembro-me que no dia seguinte à tragédia de Camarate fiquei a saber a minha primeira grande informação: o primeiro-ministro Sá Carneiro e ministro da Defesa, Adelino Amaro da Costa, juntamente com Snu Abecassis, Manuela Amaro da Costa e António Patrício Gouveia, afinal, não precisavam de viajar no Cessna pilotado por Jorge Albuquerque e Alfredo Sousa. Nem sequer no avião comercial da TAP, como ainda hoje garantem as biografias do antigo primeiro-ministro. Podiam ter viajado no avião da empresa portuense Refinarias de Açúcar Reunidas (RAR), que tinha ido de propósito do Porto a Lisboa para transportar o primeiro-ministro e comitiva ao comício no Coliseu da Invicta. O piloto do avião da RAR, Inácio Passos, era pai do meu melhor amigo de escola e, no dia seguinte a Camarate, no Colégio do Sagrado Coração de Jesus, na sala da quarta classe, a turma inteira rezou uma “Avé-Maria” por o pai do nosso colega não ter morrido em Camarate. Esse foi o momento em que aquela informação ficaria para sempre gravada na minha memória de jovem aspirante a jornalista. Como tinha 8 anos, não dispunha de muitos meios ou capacidade para investigar. Confiei nos jornalistas mais velhos. Entretanto, estive a crescer e a aprender. Em finais 1986, o meu pai ofereceu-me uma assinatura da revista “Time”, no auge do escândalo do “Irão-Contra”, onde o nome de Portugal surgia associado ao negócio de tráfico de armas entre os EUA e o Irão. Voltei a confiar nos jornalistas mais velhos para me manterem informado como cidadão livre. Fui depois estudar na Escola Superior de Jornalismo do Porto e estagiei no diário “O Primeiro de Janeiro”, onde estive entre 1992 e 1994, tendo obtido, finalmente, o cartão de jornalista profissional. Em 1995, quando o caso de Camarate estava prestes a prescrever, entrevistei Inácio Passos quando este desmentiu a antiga secretária de Sá Carneiro, Conceição Monteiro, que, na TVI, garantira que o avião da RAR não estava estacionado ao lado do Cessna de Camarate. Após aquele episódio, fiquei com a sensação de que, talvez, tivesse andado demasiado tempo a confiar nos jornalistas mais velhos. Em 2000, viajei a Viena, onde entrevistei um alegado ex-agente da CIA, Oswald Le Winter, que me contou que Camarate poderia ter origem num negócio de tráfico de armas para o Irão, durante a crise dos reféns detidos na embaixada dos EUA, em Teerão, desde o dia 4 de Novembro de 1979. E isso era ainda um segredo…».