28
Nov
15

GUERRA NO GOVERNO PELO CONTROLO DOS PORTOS

 

É a primeira guerra no interior do novo governo. Trava-se nos portos e ainda não está decidida. Para grande surpresa da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino (uma especialista da área dos portos e transportes e autora do programa eleitoral do PS para o Mar), a tutela dos portos estava para ser entregue ao secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. Oliveira Martins (um jurista filho do ex-presidente do Tribunal de Contas e actual administrador da Gulbenkian). A ministra terá manifestado a sua total discordância e explicado que não faz sentido ter um ministério do Mar que não tutele os portos… A decisão foi, entretanto, suspensa, na sexta-feira já de madrugada, no meio de forte tensão.

O bizarro da situação, como notaram várias fontes ligadas ao processo, é a ligação da família Oliveira Martins aos portos: “Mudam os governos mas a família Oliveira Martins fica sempre nos portos…”.

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. Oliveira Martins, além de filho do ex-presidente do Tribunal de Contas, Guilherme Oliveira Martins, é também irmão da advogada Maria Oliveira Martins, gestora da sociedade de advogados Tiago Sousa de Alte & Associados e casada com Tiago Sousa de Alte.

Segundo o “Jornal de Notícias”, de 27 Setembro 2015, “Tiago Sousa de Alte já foi adjunto do ministro do Ambiente do anterior governo (2005), foi chefe de gabinete dos Assuntos Fiscais em 2009, foi nomeado em 2011 para realizar consultas e estudos para o secretário de Estados dos Transportes, Sérgio Monteiro, e membro da comissão para a renegociação dos contratos dos portos de Sines, de Leixões, de Aveiro, de Lisboa e de Setúbal e também director executivo da empresa MTT – Ferro de Moncorvo”.

Estes cargos de nomeação pública não impedem este “especialista” de ser o advogado de operadores portuários privados, inclusive em processos judiciais contra o Estado ou entidades públicas. Como avança a mesma edição do “Jornal de Notícias”, Tiago Sousa de Alte representou a empresa privada Svitzer num processo contra o porto de Aveiro. “Entrada no mercado há poucos anos, a Svitzer tem conseguido impor-se. Em Dezembro de 2013, contratou o escritório de advogados Tiago Sousa de Alte & Associados (…). Será o escritório deste especialista a tratar de processar a Administração do Porto de Aveiro pela adjudicação da concessão de reboques no respectivo porto à empresa Tinita. Fonte desta empresa comenta que “perante um concurso onde só houve um concorrente, não se percebe o que é que a Svitzer quer reclamar”. A concessão é uma prerrogativa das administrações portuárias, mas o próprio Instituto da Mobilidade e dos Transportes respondeu à queixa dos advogados da Svitzer considerando que a concessão pode ser ilegal”…

A ministra do Mar, com as Pescas entregues ao secretário de Estado José Apolinário, um dirigente do PS Algarve, não pode perder a tutela dos Portos ou, então, como já alguém disse, “sem Pescas e sem Portos, passa de ministra do Mar a ministra das… praias!

Anúncios

0 Responses to “GUERRA NO GOVERNO PELO CONTROLO DOS PORTOS”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: