15
Fev
13

CAMARATE : A ARMA E OS DOCUMENTOS DE AMARO DA COSTA DESAPARECERAM NOS DESTROÇOS DO CESSNA

O eurodeputado do CDS e presidente da VIII comissão de inquérito à tragédia de Camarate, Nuno Melo, afirmou esta quinta-feira que o ministro da Defesa, o centrista Adelino Amaro da Costa, “andava armado”, mas  a arma nunca foi encontrada, nem mesmo entre os destroços da queda do avião que o vitimou e ao primeiro-ministro, Sá Carneiro, a 4 de dezembro de 1980.

Na X comissão de inquérito, Nuno Melo explicou a sequência dos factos apurados na comissão a que presidiu e destacou uma cronologia: no início de 1980, a tutela de armamento regressa à esfera do ministro da Defesa, depois de ter estado nas mãos das chefias militares, designadamente, do diretor nacional de armamento.

Ao CM, Nuno Melo recordou que Amaro da Costa inviabilizou, então, várias operações de negócios com armamento: em Abril de 1980 para a Guatemala e em Agosto  para a Indónesia.

Mais, a “2 de dezembro pede informações com urgência sobre a venda de armas ao Irão”. Depois, a 4  de dezembro de 1980, ou seja, dois dias depois, um Cessna que transportava o ministro e o primeiro-ministro, Francisco Sá Carneiro, cai no aeroporto da Portela. Ambos morreram, além de familiares e membros dos gabinete e tripulação.

A 5 de dezembro de 1980, lembra Nuno Melo, há registo, num livro com documentos classificados, dá –se conta que as operações com negociações de armamento voltam às  mãos do diretor nacional de armamento. Por fim, há ainda registos de 9 de dezembro e 21 de janeiro de 1981 da operação com o Irão.

Por isso, Nuno Melo sustenta que devem ser feitas diligências para ouvir chefias militares da época, responsáveis de armamento e também políticos para averiguar tudo que se passou em torno do Fundo do Ultramar.

A tese de que o móbil do crime que vitimou  Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa se relacionou com o tráfic9o de armas não é nova. Já em Junho de 1991,estevesem entrevista ao jornalista José Leite publicada no  semanário «o Diabo», José Esteves, o autor confesso e que deverá prestar depoimento nesta x Comissão de <inquérito, revelou que o tráfico de armas estava na origem do atentado de Camarate,citando já os nomes de Lee Rodrigues ( o homem que disfarçado de piloto da aviação entrou no aeroporto de Lisboa para colocar a bomba no Cessna),em Fernando Farinha Simões e no ex-agente da PJ, Vitor Pereira, actualmente «desaparecido» em combate, que terá sido um dos primeiros a chegar junto aos destroços do avião de onde se terá se apossado de uma mala contendo documentos importantes – provavelmente, aqueles que Sá Carneiro tencionava usar no comício no Porto da candidatura do general Soares Carneiro sobre o envolvimento de militares no negócio de venda de armas ao Irão. E com esses documentos também a arma que o então ministro da Defesa usava, desapareceu.


1 Response to “CAMARATE : A ARMA E OS DOCUMENTOS DE AMARO DA COSTA DESAPARECERAM NOS DESTROÇOS DO CESSNA”


  1. 1 elza
    Fevereiro 15, 2013 às 8:04 am

    A verdade camarate


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: