30
Jul
12

PJ DESCOBRE EM TEMPO ÚTIL INCENDIÁRIO DA MADEIRA JUIZ LIBERTOU-O. QUE JUSTIÇA É ESTA?!!!!

Já nada nos espanta na (in) justiça reinante neste jardim à beira mar. A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal do Funchal, deteve na sequência de uma investigação «relâmpago» um homem indiciado pela prática do crime de incêndio florestal. Presente ao juiz de instrução criminal, o suspeito acabou por ficar em liberdade. O indivíduo que chegou a concorrer ao curso de aspirante a bombeiro onde chumbou nos testes é natural da Madeira, tem 37 anos de idade, três filhos, estava actualmente desempregado e a Polícia mostra-se convicta que na altura em que ateou os dois incêndios na zona Oeste da ilha, se encontrava embriagado. O que não é desculpa para a malvadez cometida, pois além da floresta ardida, várias casas e carros ficaram destruídos e houve pessoa que correram risco de vida não fora a pronta acção dos bombeiros e da Protecção Civil .

 Na sequência das diligências de investigação levadas a efeito face a onda de incêndios que assolaram a  Região Autónoma da Madeira (RAM),e que provocaram avultados danos económicos e o pânico generalizado, foram recolhidos fortes indícios que permitiram identificar o autor de dois incêndios ocorridos no fim do mês de Março na freguesia de Ponta do Pargo e que consumiram uma área florestal de 30 hectares, e ainda do incêndio de grandes dimensões que no passado dia 17 deste mês, atingiu as freguesias da Fajã da Ovelha, Ponta do Pargo e Achadas da Cruz, consumindo uma área total de 2.484 hectares..

Vinte e quatro horas foi o tempo em que esteve preso o ex-candidato a bombeiro que resolveu atear estes focos como vingança pelo chumbo na sua candidatura a voluntário, depois de um juiz do Tribunal de Instrução Criminal da Ponta do Sol decretar que aguardasse julgamento em liberdade, mediante a apresentação regular num posto da GNR. O magistrado não atendeu ao pedido do delegado do Ministério Público que solicitara a sua prisão preventiva alegando que poderia reincidir em atear fogos – prática em que era useiro e vezeiro,

Há dois anos que um incendiário também detido pela PJ autor de um dos maiores incêndios que flagelou a ilha, aguarda julgamento. Agora este é o segundo a merecer a benevolência de um magistrado e das «leis tontas», como lhes chamou Jardim, paridas pelo Continente, que possibilitam estas situações anómalas. Perguntamos: e se este indivíduo agora detido resolver reincidir de novo, pois é suposto não ter um polícia a guardá-lo à porta de casa? Será que o juiz ficará também com as «barbas a arder» e será alvo de um procedimento superior para averiguar da justeza da sua decisão – pois os juízes são seres humanos e erram ( e muito!) nas suas decisões.Que leis e justiça é esta que põe em causa o trabalho eficiente da corporação da Judiciária da Madeira que chegou a mobilizar todos os meios para caçar o (ou os) autores dos incêndios na Madeira e em tempo útil descobriu um dos malfeitores … que acabou por ficar solto devido a uma decisão surpreendente de um magistrado para quem o pânico e o prejuízo incalculável de dezenas de hectares de floresta ardidos são simples «fait divers» na forma como administra a (in)justiça.


0 Responses to “PJ DESCOBRE EM TEMPO ÚTIL INCENDIÁRIO DA MADEIRA JUIZ LIBERTOU-O. QUE JUSTIÇA É ESTA?!!!!”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: