11
Jun
12

SUICÍDIOS AUMENTAM EM PORTUGAL E O DRAMA É SEGREDO DE ESTADO

Em pouco mais de 24 horas, registaram-se dois casos de suicídios, entre os quais, o caso de uma mãe nos Açores que se lançou num precipício juntamente com as duas filhas menores. E estas são as ocorrências oficialmente divulgadas, facto que não deixa de suscitar perplexidades, no momento em que se desconhece do que foi feito da tal campanha de prevenção que o Governo diz ter implementado.

 

O número de suicídios em Portugal é segredo de Estado. As últimas estatísticas remontam aos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), em 2010, indicando que as mortes por suicídio em Portugal ultrapassaram pela primeira vez, os óbitos provocados por acidentes rodoviários. Nesse ano, ocorreram em Portugal 1101 óbitos por suicídio, mais 86 do que as mortes registadas em acidentes nas estradas durante o mesmo período. Foi também referido que face a estes números alarmantes o governo decidiu antecipar a criação de uma comissão que vai desenvolver o programa de prevenção dos suicídios.

A medida segue-se também a um alerta da Comissão Europeia e da Organização Mundial de Saúde para o aumento das depressões em situações de crise. O  secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Leal da Costa, chegou a admitir em declarações aos jornalistas, que, «em todas as circunstâncias de maior crise económica ou financeira, com o aumento do desemprego, aumento de situações de maior dificuldade social, individual e familiar, é possível e imaginável que isso aconteça». Uma verdade de La Palisse…

O suicídio tornou-se um problema de saúde pública e uma realidade crescente em Portugal que necessita de medidas prioritárias para o combater. Os idosos são a classe etária mais afectada, facto que se prende claramente com circunstâncias que têm a ver com o abandono social e com condições mais difíceis de sobrevivência. Mas sabemos que o suicídio em Portugal, como em outros países da Europa, está subnotificado, muitas vezes por circunstâncias relacionadas com algum risco de estigmatização social e até com condições específicas das apólices de seguro de vida… as companhias não pagam seguros de vida aos familiares dos suicidados

O certo é que o Governo mantem segredo sobre o número assustador de casos de suicídios que se estão a registar, uma estratégia que se enquadra no objectivo de não provocar  alarme social com a divulgação desses números, proporcionalmente mais dramáticos do que os que foram revelados em 2010.E com contornos cada vez mais assustadores. Um caso recente, ocorrido no passado fim de semana, nos Açores: uma mãe residente em Vila Porto, Santa Maria, vivendo em sofrimento profundo depois de se ter divorciado e ter ficado grávida pela segunda vez, saiu anteontem de casa com a bebé, Antónia, e a filha mais velha, Maria, de quatro anos, e lançou-se com o carro e as duas meninas para um precipício. Elda Figueiredo morreu carbonizada com as filhas no interior da viatura. Deixou uma carta a explicar a sua dor e os motivos que a levaram a pôr termo à sjua vida mais a das crianças, devido a problemas decorrentes do divórcio e às dificuldades económicas que atravessava.

No domingo, um funcionário do SEF ( Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), de 35 anos, deu um tiro na cabeça no interior do carro, no Parque Natural de Monsanto, Lisboa. O cadáver foi descoberto por um guarda florestal ao início da manhã, que alertou de imediato a PSP. Ou seja, em pouco mais de 24 horas, registaram-se dois casos de suicídios. E estas são as ocorrências oficialmente divulgadas, facto que não deixa de suscitar perplexidades, no momento em que se desconhece do que foi feito da tal campanha de prevenção que o Governo diz ter implementado. Nas esquadras da polícia por enquanto, não há indicações sobre esse plano, que parece mais talhado para funcionários da segurança social, psicólogos ou comissões de acompanhamento que poderiam funcionar junto às autarquias do que para polícias, assoberbados que têm andado a combater e a prevenir a criminalidade que aumenta a olhos vistos…


2 Responses to “SUICÍDIOS AUMENTAM EM PORTUGAL E O DRAMA É SEGREDO DE ESTADO”


  1. 1 Celta
    Junho 11, 2012 às 9:33 pm

    E ainda temos de ouvir o jotinha do Coelhinho a dizer que desemprego é uma oportunidade para mudar de vida e elogiar a paciência/ passividade dos portugueses! O desemprego é uma oportunidade para o suicídio e acabar com a vida, isso sim! Os suicídios causados por dificuldades económicos alastram por toda a Europa é um drama e as pessoas em vez de se unirem para lutar contra esta corja não se podem matar por causa do dinheiro, o dinheiro não vale mais que a vida!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: