04
Jun
12

ANTÓNIO BORGES: MAIS UM «BOY» DO PSD PRINCIPESCAMENTE PAGO, QUE GANHOU 225 MIL EUROS LIVRES DE IMPOSTOS E QUE ACUMULA CARGOS ÁQUEM E ALÉM-MAR

 É segredo de Estado o salário que António Borges aufere  como consultor do Governo para  a área das privatizações,das parcerias público/privadas (PPP) e para a reestruturação do sector empresarial do Estado.Surgiu agora a apregoar a redução urgente dos salários dos portugueses, ele que auferiu em 2011, 225 mil euros livres de impostos. Então o prof Borges não se escandaliza com o facto do Governo que serve ter emprestado 3 mil milhões de euros ao BCP, instituição que paga a reforma ao seu antigo administrador (ou seja, como as reformas do sector bancário passaram para o Estado, somos todos nós que pagamos isso), o engº Jardim Gonçalves, a módica quantia de 175 mil euros mensais??? Será por serem todos do Opus Dei que se assiste a este despautério ? É fartar vilanagem…

 

Vivemos uma crise que não foi criada por quem se mata a trabalhar de manhã à noite para receber um miserável ordenado e mais não faz que pagar impostos cada vez mais elevados. Esta crise foi criada sim por um grupo de senhores que usa e abusa do poder que lhes foi dado por uma pseudo-democracia que criaram, moldaram e teimam em manter e controlar. Um grupo de senhores ultra-liberais, que tentam destruir o mercado de trabalho e privilegiar a banca e as grandes riquersas, que consegue sempre fugir a uma justiça e a um sistema fiscal que eles mesmos criaram para os beneficiar. Senhores a quem pagamos muito acima do que realmente valem e produzem.

António Borges: um “bluff” português

O Expresso publicou esta semana a primeira demolição desta criatura, quase apresentando-o como uma fraude.O semanário faz alusão a um artigo de  Marc Roche, jornalista do “Le Monde” e autor do livro “O Banco – Como o Goldman Sachs dirige o mundo”, onde refere  que o português António Borges é um “mistério”, tal como outros antigos “veteranos” da instituição.

O autor do livro agora publicado em Portugal  disse que a doutrina financeira anglo-saxónica liderada pelo banco norte-americano Goldman Sachs, que, como sabe, desencadeou a actual crise mundial, está atualmente colocada nos bastidores do poder na Europa o que põe em causa a regulação em nome do lucro, e estabelece um paralelo entre as políticas de austeridade na Europa e a presença de “veteranos” do Goldman Sachs na política europeia.

“Em Novembro de 2011, o Fundo Monetário Internacional anunciou a demissão do diretor do seu departamento europeu, o português António Borges, por ‘razões pessoais’. António Borges, 63 anos, passou apenas um ano em Washington, em funções que o levaram a supervisionar alguns dos maiores empréstimos da história da instituição: à Grécia e à Irlanda, ambos membros da zona euro. Este economista, presidente no momento do seu recrutamento de uma organização de ética no setor dos fundos especulativos, tinha sido selecionado pelo FMI pelo seu conhecimento dos mercados financeiros”, escreve Roche na primeira página do livro.

 Domingo, o Correio da Manhã faz manchete com o guru económico de Passo Coelho, que defende baixa de salários, como se os portugueses não tivessem já os salários mais baixos da Europa. O traste, que não tem outra qualificação, ganhou em 2011,  225 mil euros livres de impostos, porque tinha, como todos os funcionários do FMI, um estatuto de funcionário de organização internacional ( semelhante àquele que beneficiam os funcionários das Nações Unidas),o que implica o pagamento de salário líquido.

Borges trabalhou, até Novembro de 2010,como administrador da empresa Galeno Participações SGPS.E auferiu um rendimento anual da ordem dos 350 mil euros, acumulando ainda a presidência de um fundo de investimento – o Standard Board em Londres. Não tendo residência em Portugal há vários anos, Borges apenas tem de entregar a declaração de rendimentos no nosso país se obtiver rendimentos em Portugal da categoria C, relativa a endas,o F, referente a mais-valias, mas não declara o rendimento de trabalho como funcionário do FMI, justamente porque está isento de impostos.

É segredo de Estado (o Governo recusou divulgar os vencimentos dos elementos que integram a equipa de Borges) o salário que o economista aufere como consultor do Governo para a área das privatizações, das parcerias público/privadas (PPP) e para a reestruturação do sector empresarial do Estado.Tão lampeiro em exigir o abaixamento dos salários, estranha-se que o prof. Borges não se escandalize com o facto do Governo que serve ter emprestado 3 mil milhões de euros ao BCP, instituição que paga a reforma ao seu antigo administrador (ou seja, como as reformas do sector bancário passaram para o Estado, somos todos nós que pagamos isso), o engº Jardim Gonçalves, a módica quantia de 175 mil euros mensais??? Será por serem todos do Opus Dei que se assiste a este despautério ?

Os portugueses, infelizmente, são assim. Ficam reféns destas figurinhas que nada acrescentam e se reproduzem de igual forma como tentam multiplicar os seus rendimentos. António Borges não existe. Nunca existiu. Que procure outra paróquia para pregar.


4 Responses to “ANTÓNIO BORGES: MAIS UM «BOY» DO PSD PRINCIPESCAMENTE PAGO, QUE GANHOU 225 MIL EUROS LIVRES DE IMPOSTOS E QUE ACUMULA CARGOS ÁQUEM E ALÉM-MAR”


  1. 1 chefmmm
    Junho 4, 2012 às 9:53 pm

    Este é o lado sinistro do meu País… O homem até deve ser competente e possivelmente até merece o balurdio que ganha… mas é que estamos em Portugal. Num Portugal escanzelado estes ordenados cheira-me a que andam a pôr lenha na fogueira. É com estes desiquilibrios que a revolta pode nascer. Se fôr o Cristiano Ronaldo o povinho nem pensa, mas com estes técnicos milionários o povo revolta-se.

  2. 2 Mário
    Junho 6, 2012 às 9:30 am

    ´É preciso ter muita lata,ou fazer de nós parvos e escravos.Ele é que é o senhor,mais os que o rodeiam os outros são simples marionetas nas suas mãos.

  3. 3 Charlot
    Junho 7, 2012 às 7:29 pm

    Este sistema de democracia é como é guerra. Dizemos que estmos em guerra, quando quem a provocou foi um punhado de guente da elite. Aqueles que morrem, muitas vezes, nem sabem quais são as verdadeiras razões da sua morte. Mas a elite que a provocou chega toda viva ao fim da mesma. Basta ver o que se passou com o fim da 2ª Guerra mundial, em Nuremberg estavam lá todos vivos. Apenas faltaram aqueles que puseram termo a sua própria vida. Durante esta crise, quem passa fome é quem trabalha para produzir. Os senhores que gerem os dinheiros que o povo produz continuam a viver à larga porque acham que têm esse direito.
    Até quando o povo vai aguentar estas mordomias?…

  4. Junho 12, 2012 às 4:56 pm

    Se ele se refere ao seu salário mais de outros pulhas políticos com duplas reformas douradas, apresentadores e jornalistas da RTP, outros chulos e vampiros espalhados por empresas públicas ou semi-públicas então estamos de acordo! É uma urgência nacional reduzir DRASTICAMENTE o salário dessa corja! A revolução não tardará as pessoas estão cada vez mais informadas e irritadas, a bolha vai rebentar mais tarde ou mais cedo e os desertores do 25 de Abril não se irão ficar a rir. Publicidade negativa (e real) para o estrangeiro do que se passa em Portugal pode ser um mote, os outros europeus devem ficar a saber quem anda a viver “acima das suas possibilidades”.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: